Descomplicando o Monitoramento de Servidores – Parte 2

Fala galera!

No meu último artigo (leia aqui), dei uma introdução de como é possível monitorar recursos e funções de servidores utilizando uma ferramenta nativa do Windows Server, o Conjunto de Coletores de Dados (inglês Data Set Colector).

Para o laboratório, irei utilizar uma máquina virtual com Windows Server 2012 R2 (nada impede de você usar outra versão do Windows Server). Vamos praticar os ensinamentos vistos anteriormente. Bora lá?!

O primeiro passo é abrir o Performance Monitor, em Ferramentas Administrativas, ou pelo comando perfmon, através do comando Executar no Windows Server.

A janela principal do Performance Monitor mostra uma visão geral do servidor. (Figura 01).

 

Figura 01

 

Ao lado esquerdo, temos três opções (Ferramentas de Monitoramento, Conjuntos de Coletores de Dados e Relatórios). Nesta série, darei enfase para Conjuntos de Coletores de Dados.

Para criar um novo coletor de dados, vamos expandir a opção Conjuntos de Coletores de Dados. (Figura 02).

 

Figura 02

 

Veja que podemos definir quatro tipos de coletores de dados:

  • Definido pelo usuário;
  • Sistema;
  • Sessão de Rastreamento de Eventos;
  • Sessão de Rastreamento de Eventos de Inicialização.

Para exemplificar, vamos utilizar a primeira opção (Definido pelo usuário). Clicando com o botão direito, selecione Novo e, logo em seguida, a opção Conjuntos de Coletores de Dados. Uma nova janela abrirá. (Figura 03).

 

Figura 03

 

Definimos um nome para o coletor. No meu caso, utilizarei o nome Coletor 1 e escolheremos qual tipo de coleta será realizada, se feita através de um modelo ou manualmente. A principio, escolherei um modelo. Feita a escolha, clique em Avançar.

A próxima janela mostra os quatro tipos de modelo padrões existentes. Ao lado, é possível ter uma breve explicação do que cada modelo coleta. (Figura 04).

 

Figura 04

 

Vou escolher a opção Básico e clicar em Avançar. Será solicitado o caminho raiz onde os dados de coleta ficaram armazenados. Deixarei a opção padrão (Figura 05).

 

Figura 05

 

Por fim, podemos escolher qual credencial será utilizada para este coletor e qual tipo de ação a ser realizada. Podemos escolher três opções (Abrir propriedades deste conjunto de coletores de dados, Iniciar conjunto de coletores de dados agora e Salvar e fechar). Vou escolher Salvar e fechar e clicar em Concluir. (Figura 06)

 

Figura 06

 

Ao terminar, podemos verificar que foi criado um novo coletor com o nome definido e que o mesmo ainda não está em execução. (Figura 07)

 

Figura 07

 

Antes de iniciar o coletor criado, vamos clicar com o botão direito e escolher a opção Propriedades. (Figura 08)

 

Figura 08

 

Aqui podemos definir várias configurações personalizadas para o coletor. Podemos definir a pasta de gravação dos logs de acordo com o dia, mês, ano e horário, agendar horários e datas para coleta, definir condições de parada e executar tarefas no coletor.

Vamos conhecer aba por aba.

Geral – A aba Geral apresenta o nome do coletor, descrição, palavras-chave e qual usuário irá executar o coletor.
Pasta – Diretório raiz dos logs, subdiretório (ex: mês), formato do nome do diretório e número de série.
Segurança – Esta aba apresenta as permissões do coletor; de preferência, não altere nenhuma permissão.
Agendar – Aqui é possível realizar vários tipos de agendamento, desde escolher os dias da semana, bem como definir intervalos específicos para cada tarefa. Também é possível definir uma validade para o agendamento.
Condições de Parada – Nesta aba podemos definir por quanto tempo e tamanho máximo do arquivo de log o contador irá executar. Por exemplo, podemos executar um determinado coletor por apenas 2 minutos, 2 horas, 2 semanas e assim por diante.
Tarefa – Por fim, podemos definir se será executado ao programa ou script agendado.

Agora que conhecemos as propriedades, vamos finalmente colocar nosso contador para rodar. Lembrando que, como não agendamos, será necessário iniciar manualmente. Clique com o botão direito sobre Contador 1 e em seguida em Iniciar.

Pronto! O contador já está em execução. Para verificar se realmente está tudo funcionando, vá para a opção Relatórios e veja que em Definidos pelo usuário haverá um log novo criado com as especificações padrão da aba Pasta. (Figura 09)

 

Figura 09

 

Perceba também que a duração foi de 60 segundos (1 minuto), padrão configurado lá nas propriedades do contador na aba Condições de Parada. (Figura 10).

 

Figura 10

 

Legal, não é?

Não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

Até mais! 🙂

Sobre o Autor

Analista de infraestrutura em tecnologias Microsoft na Unimed Catanduva. Sou MCP (Microsoft Certified Professional). Formado em tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas no Instituto Federal de São Paulo. Amplo conhecimento em tecnologias de virtualização — Hyper-V e VMware — e sistemas de gerenciamento de backup. Apaixonado por heavy metal, principalmente Iron Maiden! \o/

  • Magno

    Muito obrigado por partilhar seu conhecimento. Parabéns cara, continue mantendo o blog e sempre trazendo bom conteúdo que ajude os pobres coitados peões de Infra, como eu. Abraço e parabéns pelos ótimos posts.