Entendendo modelos de hospedagem On-Primise x IaaS x PaaS x SaaS

Olá caros leitores!

Esse é o primeiro artigo que compartilho no blog Eu++, espero que gostem.
Aproveitando o momento, gostaria de agradecer a oportunidade do espaço aqui proporcionado, para podermos trocar um pouquinho de conhecimento.
Para esse primeiro post, fiquei pensando em qual assunto abordar e qual eu poderia melhor contribuir. Após pensar muito, e confiante que terei tempo de abordar todos os temas que desejo, preferi dar prioridade para um assunto que vem cada dia crescendo mais e que tem um grande mercado pela frente.
Então vamos falar de Cloud Computing, porque Cloud e não On-Primises?
Não vou entrar no mérito de qual é a melhor Cloud (AWS, Azure, Verizon, CloudSigma…), qual você vai ter mais disponibilidade ou qual vai te proporcionar melhor gerenciamento, escalabilidade, recursos, etc…
Dessa forma vou falar um pouco sobre os modelos de gerenciamento, quais benefícios pode adquirir com cada um deles, vantagens e desvantagens.
Vamos começar por On-Primises;
Esse modelo é o que você será responsável por toda a infraestrutura, tendo que garantir desde a camada de network até a camada de aplicação. Tendo que garantir a disponibilidade do hardware, virtualização, etc…
Falando um pouco sobre as desvantagens de você ter esse modelo de hosting, indiferentemente se está em um local site (Dentro da sua organização) ou dentro de um Data center (Colocation), sempre terá um alto custo de gerenciamento e manutenção desse ambiente (Poucas horas de sono, rs). Além de não ter a agilidade e a facilidade (Em muitos casos e ocasiões) de ter um ambiente facilmente escalável.
Passando agora para o modelo IaaS (Infrastructure as a Service);
Esse modelo começamos a terceirizar nossa infraestrutura, deixando de ser responsável pela camada de network, server, storage e virtualização, agora focando somente no gerenciamento de sistemas, dados e aplicação.
Esse modelo pode ser contratado através de serviços de Cloud Computing ou através de hosting vendido por data center.
Nesse cenário é possível você migrar sua solução de On-Primises sem ter dificuldades com aderência no servidor de destino, falando de uma forma simplista CRTL +C – CRTL +V.
Apesar de ainda existir custo de gerenciamento do seu ambiente, Backup, Atualizações, Antivírus, etc… Começamos a nos preocupar menos com a disponibilidade do hardware e focar mais na arquitetura da aplicação em questão.
A desvantagem desse modelo, pode ser o custo, em muitos cenários a replicação fielmente do cenário On-Primises para IaaS, pode acarretar em um alto custo de armazenamento e recursos computacionais.
Aconselho se caso pensa em iniciar uma migração para esse modelo, certifique-se de seu ambiente estar controlado, excluindo dados desnecessários, certifique-se de seu Banco de Dados estar bem controlado (Índices, Fragmentação e Saneamento).
Next… PaaS (Platform as a Service);
Esse modelo agora estamos terceirizando as camadas já mencionadas em IaaS, agregando as camadas de Sistemas Operacionais, Middleware e Runtime, enfim agora não precisamos mais nos preocupar em atualizações de sistemas, intermediações entre software e server, gerenciamento de Banco de Dados, Web Servers, Backup, etc…
Agora começamos a nos preocupar apenas com a camada aplicação e dados, diminuindo drasticamente o custo com gerenciamento de ambiente.
Uma desvantagem desse modelo, pode ser o custo de desenvolvimento para aderência da aplicação com a plataforma, em muitos casos é necessário ajustes para que tudo funcione corretamente.
Alguns exemplos de serviços como plataforma:
AWS RDS – Database
AWS BeanStalk – Web Apps
Azure SQL – Database
Azure Web App – Web Apps
Temos uma infinidade de serviços; Cache, Big Data, Storage, etc.. Uma rápida busca no Google você vai encontrar a plataforma como serviço de acordo com sua necessidade.
E por último vamos falar de SaaS (Software as a Service);
Esse modelo não tenho muito o que falar, o próprio nome já diz; Software como Serviço.
Nesse modelo está incluso tudo que temos nos demais, agora contemplando também Aplicações e Dados.
Geralmente utilizamos esse modelo quando não queremos nos preocupar com gerenciamento nenhum da solução em si, um exemplo muito utilizado hoje em dia é o “Gmail for Business”, onde pode utilizar um serviço de correio eletrônico com seu próprio domínio (@seudominio.com.br) sem ter preocupação alguma com o gerenciamento (Deixo claro que não sou revendedor Google, rs).
Geralmente nesse modelo pagamos um valor de licença, onde contempla toda a hospedagem e gerenciamento da solução.
Existe uma grande resistência com a aderência para Cloud e grandes discussões ainda sobre o tema On-Primises x Cloud Computing.
Participando de reuniões com grandes empresas, escuto muito “Não confio em hospedar informações de alto valor da organização na Nuvem” Concordo que de fato é difícil não sabermos exatamente onde estão nossas informações, porém, faço uma pergunta:
Onde está seu dinheiro? Sabemos que está em um banco financeiro XPTO, porém não sabemos exatamente onde.
Não devemos levar nada como regra, existem diversos cenários e diversas premissas para cada modelo.
Pessoal, espero que tenham gostado do artigo. Está de forma resumida, existem muitas informações adicionais e que podem ser facilmente encontradas na internet.
Minha expectativa é ter despertado um interesse pelo assunto e que auxilie em futuras decisões.
Uma imagem vale mais que mil palavras, então:
Responsibilities
Gostaria de deixar aberto para uma próxima postagem, qual assunto gostariam?
1) DRP em Cloud, entendendo multi-zonas e regiões globais
2) Redes Privadas em Cloud
3) Monitoramento, infraestrutura  x negócio
4) Ferramentas Open Source para Chamados, Inventário, Monitoramento e mais
5) Serviços e Recursos na AWS
6) Serviços e Recursos na Azure
Um forte abraço.
Sobre o Autor

Gerente de infraestrutura na MC1 Tecnologia da Informação (www.mc1.com.br) e Sócio Diretor na HITK (www.hitk.com.br), Atuação em ambientes On-Primises, IaaS, PaaS e SaaS. Atualmente suporta ambientes críticos de automação de força de vendas (Sales Force), com presença em 17 países e mais de 42 mil usuários. Fanático por soluções Open Source e Cloud Computing. Não existem barreiras para quem acredita no próprio potencial, nossos maiores desafios são as limitações que auto nos titulamos.

  • Fernanda Promencia Peloi

    Adorei o tema e ficou muito bem explicado!! Sensacional!!!

    Gostei de todos os próximos temas possíveis mas escolheria as opções 4 e 1!!
    Parabéns

  • Victor Tortorello Neto

    Muito bem explicado um dos assuntos mais falados do momento na área da TI. Parabéns!

  • Tiago Silva

    Ótimo post, muito bem explicado, gostaria que no próximo post fosse abordado o assunto 2.

    Parabéns!!!

  • Mário Bonfim

    Excelente artigo, desmitifica o assunto de Cloud Computing, dando uma visão simples e de fácil compreensão. E o seu dinheiro, onde está?? Rsrsrs, muito bom, dispensa comentários.